quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

O MELHOR ESCRITOR PORTUGUÊS


M'espanto às vezes, outras m'avergonho diria Sá de Miranda. Não, não é preconceito. José Rodrigues dos Santos não pode ser o "melhor escritor português". A sua consideração como "melhor escritor português" traduz um dado inquietante sobre o consumo da literatura portuguesa. 
É verdade que não é surpresa, é verdade que em muitas áreas, designadamente nas artes e na cultura nem sempre o que tem melhor qualidade é o que se torma mais consumido.
Finalmente, é verdade que José Rodrigues dos Santos não é um escritor de qualidade pese a quantidade de páginas escritas, pese a quantidade de livros vendidos.
Aceito que se critique este juízo mas não é. Mesmo.


10 comentários:

Luis Eme disse...

Pois não. Quanto muito é aquele que melhor "comercializa" os seus livros...

Ana disse...

Há tempos, a propósito do estudo da obra OS LUSÍADAS, concretamente, do episódio da Ilha dos Amores, uma aluna disse que tinha comentado o nome com a mãe e que a mesma insistira que se tratava de uma novela televisiva. Às tantas foram mães como esta que votaram no super-escritor José Rodrigues dos Santos! :-)

Ana disse...

Há tempos, a propósito do estudo da obra OS LUSÍADAS, concretamente, do episódio da Ilha dos Amores, uma aluna disse que tinha comentado o nome com a mãe e que a mesma insistira que se tratava de uma novela televisiva. Às tantas foram mães como esta que votaram no super-escritor José Rodrigues dos Santos! :-)

Zé Morgado disse...

Sinais dos tempos.

não sei quem sou... disse...

Entre a vasta bibliografia do escritor em questão, apenas li 3 obras, (A vida num Sopro, A Filha do Capitão e Anjo Branco). No entanto confesso que não é um escritor da minha preferência. Podem não gostar do estilo ou do género assim como eu não gosto de filmes de terror ou amor lamechas. Mas não me atrevo a pretender ser um leitor de referência, ou seja, o que eu não gosto NÃO PRESTA.


VIVA!

Zé Morgado disse...

Não meu caro, não é uma quesão de género ou estilo ou de gostar ou não, é mesmo uma questão de qualidade. Existem coisas de qualidade de que não gosto mas reconheço que têm qualidade como também existem coisas que não têm tanta qualidade e também gosto. É simples, JRS, como escritor, não tem qualidade.

não sei quem sou... disse...

Mas diverte e põe as pessoas a ler e para mim já é um objectivo muito honroso e apreciável...


VIVA!

Zé Morgado disse...

Pois. Mas para ser considerado o melhor escritor português é poucochinho. Escritores medíocres como o Eça, só para citar um clássico, são uns falhados, não põem as pessoas a ler e não divertem, evidentemente. O que mais conheço são produtos de diferente natureza que "divertem", põem as pessoas a "consumi-los" mas ... não prestam.

não sei quem sou... disse...

Assiste-lhe toda a razão Senhor Professor. Mas como não é exequível pôr toda a gente a ler Camões, Camilo, Dinis Machado, Platão, Homero, ou Aristóteles, ainda bem que há livros menos bons ou de pouca qualidade nos escaparates das livrarias mas que são "consumidos". Eu advogo a ideia de que é melhor ler o jornal de desporto do que não ler nada. É este o meu sentir...

As minhas desculpas pela minha insistência.


VIVA!

Manuel Dias disse...

Nããããããããoooooooo!!!!! O melhor escritor português és tu e sempre serás tu, Guidinha Rebelo Pintooooooooooo! Mas no feminino, claro. Escritora Portuguesa. E para te defender contra esses intelectuais urbano-depressivos, cá estarei eu a citar Roland Barthes, Julia kristeva e Yves Saint Laurent. E depois também darei conselhos de leituras, aqui do alto da minha estúpida ignorâcia. Sugiro blá, blá, blá..."domingo irei para as hortas na pessoa dos outros". E todos dirão: "Olha como ele defende a Guidinha" Olha como ele sabe nomes de tantos autores que nunca leu e nem sabe o que querem dizer - se é que eles querem dizer o que ele leu!". E se por acaso, Guidinha Rebelo Pinto, estiveres um dia a ser assaltada na rua e eu for a passar, cobardemente olharei para o lado e defender-te-ei quando chegar a casa...online.